SOBRE O EVENTO

Início: 16/10/2020 22:00
Fim: 17/10/2020 00:00
Onde: bigmix.com.br

o que é FUNKOTEQUE?

Tem uma geração que me viu tocando, lançando e batizando muito Funk internacional. época das melôs, que mais tarde, quando atravessou o atlântico, veio a ser categorizado pelo leste europeu como Miame Bass. Nessa época também tínhamos outra vertente chamada freestyle, uma fusão de músicas do movimento Break com o Funk de Miame, onde as letras, na maioria, eram românticas, que no Brasil se chamou de Funk Melody, nome também adotado pela turma do freestyle internacional.

Tem outra geração que me viu tocar na década de 90, quando a nacionalização do Funk chegou ao seu primeiro ápice, começando com Funk Brasil 01 em 1989, indo até o Funk Brasil 05 em 1998, nesse período nasceram os maiores clássicos do movimento como, Nosso Sonho (inclusive faixa do FunkBR 05 citado) , Rap da Felicidade, Rap da Estada da Posse, Rap da Morena, Melô do Bêbado, Melô do farofeiro, Marlboro Medley (faixa do FBR01 é primeira montagem de todas as montagens que viriam a seguir) e muitos outros, nascia nesse período também o Funk Melody nacional, onde se revelaram vários ídolos, com vários sucesso como Latino, Copacabana Beat, You Can Dance, Cashemere, Mc Marcinho, Mc Cacau, Márcio e Goró, Claudinho e Buchecha, Inclusive o Abdullah que já fazia parte da música de estreia do FunkBR 01, (Melô da Mulher Feia) se revelado como um grande autor e cantor do Funk Melody.

Quando também o Funk Brasileiro se afirmava como autêntica música eletrônica Brasileira, nessa mesma época também começava a minha peregrinação pelos principais festivais internacionais, como Transmediale (Alemanha) Sonar (Espanha) Atlantis (Inglaterra) Festival de Arezo (Itália) Festival de Gdansk (Polônia) Dia de Lá Musique (França) Oxigênio (Portugal) Dia da Música de Tourino (Itália) entre outros festivais e países como Slovenia, Holanda, Turnê no Japão, Turnê nos EUA com meu discípulo Diplo que depois veio a ser um dos Tops DJs da cena Mundiais, e muitos outros países, buscando assim o reconhecimento internacional do Funk BR. No período conseguimos, pela comunidade musical internacional, ter reconhecimento em dois seguimentos, as duas maiores vertentes da música daquele momento tinha abraçado o Funk BR como variações de sua vertente com o toque Brasileiro, o hip hop e música eletrônica.

Tem mais uma outra geração que só soube da minha existência, em outro grande momento do Funk no Brasil, quando lutando pela melhoria da qualidade musical do Funk BR, lacei o New Funk no início dos anos de 2000, quando reestreei na FM o Dia e permaneci por 8 anos, nesse período lancei muitos outros sucessos que também viraram clássicos da história da música Brasileira, no período saíram os Funk Brasil 06, 07, 08 e 09, onde foram reveladas músicas que também se eternizaram como clássicos do Funk BR, ex: “Glamorosa”, “Ela Só Pensa em Beijar” “Boladona” “Som De Preto”, “New Funk”, “Pavarotti”, “Cerol Na Mao”, “Um Morto Muito Louco” e muitos outros sucessos que também se eternizaram.

Mas tem uma geração antes de todas, que me viu tocar de 77 quando realmente comecei, até por volta de 85 quando ainda não tinha o reconhecimento profissional a nível nacional, pode se dizer que era o nascimento do DJ Marlboro, momento de plena construção, pode se chamar também como momento da formação musical, a preparação para o que eu faria anos depois, que resumidamente foi citado a cima. Funkoteque é exatamente esse período onde as músicas, me fizeram amar músicas e acreditar nas músicas. As influências que moldaram meu feeling, o momento que abria os olhos, pra enxergar e revelar sucessos, foi o período de maior lapidação do meu ser. Não é somente voltar no tempo e tocar músicas que a maioria das pessoas não me viram tocando, mas tocar no FUNKOTEQUE o que me inspirou, pra que outros possam ser inspirados também, e assim simbioticamente inspirem futuras gerações, para que tenhamos um futuro musical cultural muito melhor e para que continuemos evoluindo sempre, essa é a proposta do FUNKOTEQUE.

DJ Marlboro

Obs:
DISCOTHEQUE foi simplificado pra Disco.
Momento de fusão do Soul e Funk com Discotheque.
Surgiu o Disco Funk.
Como Disco Funk já é conhecido e muito usado para nome de programas, principalmente no exterior, mais a globalização, se o programa se chamasse Disco Funk seria mais um entre muitos,
Resolvi usar a parte que não foi usado da Discotheque quando simplificado, pra ter uma nova denominação e novo nome de programa Funkoteque. (Sem H pra mostrar que essa é uma iniciativa brasileira)

 

PUBLICIDADE